domingo, 18 de abril de 2010

SER TENTADO NÃO É SER PROVADO

Para discernir o que é ser tentado do que ser provado, talvez pensar que a tentação é um estado, caminho ou condição – que sob certa circunstância -- tem a força ou eficácia de seduzir, apartar a mente e o coração de um homem de sua obediência, requerida por Deus, para que cometa qualquer tipo ou grau de pecado.

As tentações podem ser externas (atrações do mundo, solicitações de Satanás, argumentos e seduções dos não-regenerados) e internas que brotam dos desejos pecaminosos que permanecem em nós, como inveja, luxúria, imaginações impuras, cobiça e pensamentos de vingança. "Todas essas forças podem agir numa variedade quase infinita de formas" (Brian Schwertley).

As tentações podem ser manifestacionais ou motivacionais.

As tentações manifestacionais são aquelas planejadas, articuladas e executadas por Satanás de forma extraordinária (embora nos cheguem sob formas ordinárias) com o fim de nos destruir. Quanto mais discretas e mais envolvidas em ações "normais", maior o seu poder sedutor.

As tentações motivacionais integram o nosso jeito de ser, jeito que se constitui em brecha para o ataque. São aquelas tentações comuns a pessoas comuns (1Coríntios 10.13). Aparecem, por exemplo, em forma de desejos, práticas, costumes, pensamentos e ideologias.

Israel Belo de Azevedo
Pastor da Igreja Batista Itacuruçá
Rio de Janeiro

Nenhum comentário: