domingo, 18 de abril de 2010

"DEUS SEMPRE CUMPRE SUAS PROMESSAS"


Hoje estava revendo algumas cartas do meu amigo Pastor Xavier à sua Igreja (Batista Memorial da Tijuca); ele estava numa cama de hospital e conseguiu mostrar pra todos que Deus sempre cumpre suas promessas!

Por isso Transcrevi parte dessa carta abençoadora!


"Nesta manhã, depois de um delicioso e refrescante banho no leito, com sabonete phebo, cheirosíssimo, depois eu cobro minha comissão, abri um devocional diário, escrito pelo Spurgeon em 1865, li o que agora traduzo para vocês.

Clenir também leu e os dois choramos e vocês vão entender a razão, depois de lerem, eu espero!!! II Samuel 7.25 - ”FAZE CONFORME PROMETESTE”;

As promessas de Deus nunca foram dadas para serem desprezadas, colocadas de lado como papéis usados. Ele as deu para que fossem usadas. O dinheiro de Deus não é o dinheiro de um miserável, pão duro, mas é dado com o propósito de circular. Nada alegra mais a Deus do que ver as promessas dele colocadas em circulação. Ele ama ver os seus filhos voltarem-se para Ele, e dizerem: “Senhor, faze conforme prometeste”.

Nós O alegramos quando requisitamos as promessas dEle. Vocês pensam, por algum momento que Deus ficará mais pobre ao dar-lhes as riquezas que Ele tem prometido? Vocês acreditam que Ele ficará menos santo ao conceder-lhes Sua santidade? Vocês supõem que Ele ficará menos puro ao lavá-los de seus pecados?
Ele tem dito: “Venham agora, e arrazoemos juntos, diz o Senhor: Embora os seus pecados sejam tão impuros, eles se tornarão brancos como a neve, vermelhos como o carmesim, ficarão alvos como algodão”. Fé se sustenta nas promessas do perdão e ela não se delonga atrás de desculpas, tipo, “esta é uma promessa muito preciosa, muito bonita”. Mas eu me pergunto: “Será mesmo real?” Ao contrário, o crente vai direto para o trono com ela, debaixo do braço, e clama: “Senhor, aqui esta a sua promessa. “Faze como prometeste”. O nosso Senhor responde: “Se cumpra em você conforme lhe prometi “.

Quando um crente agarra uma promessa, se Ele não a leva para Deus, Ele desonra Deus. Mas quando Ele se dirige ao TRONO DA GRAÇA, e clama: “Senhor, eu não tenho absolutamente nada que me recomende diante de Ti, além da promessa que diz: “Faze como prometeste”, então seu desejo será concedido. Nosso banqueiro celestial se alegra em sacar de suas próprias e inesgotáveis riquezas. Nunca permita que as promessas fiquem rotas.

Tire as promessas que você engavetou, como seus papéis velhos, e use-as como uma “santa
violência”. Não pense, nem por um momento sequer, que estará importunando a Deus ao “lembrar-Lhe” de suas promessas. Ele ama ouvir o clamor altissonante dos necessitados. É Seu deleite nos conceder o Seu favor, derramar as Suas bênçãos. Ele está mais pronto para ouvir do que você para pedir. O sol não se cansa de brilhar, nem a fonte de jorrar. É da natureza de Deus cumprir e velar por suas promessas. Por isso vá imediatamente para o TRONO DA GRAÇA com as promessas debaixo do braço e diga: “FAZE, CONFORME PROMESTE”.


Um grande abraço

Céa

INTERCÂMBIO TRIPLO DE MUSICA

Vai acontecer na PIBA nos dias 01 a 3 de maio de 2010, um grande intercambio musical.
Vamos receber a Igreja Batista de Brasilia e a Igreja Batista em Duque de Caxias.

Elas traram seus Coros para abrilhantar esse evento que com certeza irá abençoar a vida de toda Igreja.

Voce não pode perder!!

Convide seus amigos para as programações!!

Sábado 20hs e domingo as 10:30h e 19:30h.

ESPERAMOS VOCE!!
Um grande abraço
Cea Castro

SER TENTADO NÃO É SER PROVADO

Para discernir o que é ser tentado do que ser provado, talvez pensar que a tentação é um estado, caminho ou condição – que sob certa circunstância -- tem a força ou eficácia de seduzir, apartar a mente e o coração de um homem de sua obediência, requerida por Deus, para que cometa qualquer tipo ou grau de pecado.

As tentações podem ser externas (atrações do mundo, solicitações de Satanás, argumentos e seduções dos não-regenerados) e internas que brotam dos desejos pecaminosos que permanecem em nós, como inveja, luxúria, imaginações impuras, cobiça e pensamentos de vingança. "Todas essas forças podem agir numa variedade quase infinita de formas" (Brian Schwertley).

As tentações podem ser manifestacionais ou motivacionais.

As tentações manifestacionais são aquelas planejadas, articuladas e executadas por Satanás de forma extraordinária (embora nos cheguem sob formas ordinárias) com o fim de nos destruir. Quanto mais discretas e mais envolvidas em ações "normais", maior o seu poder sedutor.

As tentações motivacionais integram o nosso jeito de ser, jeito que se constitui em brecha para o ataque. São aquelas tentações comuns a pessoas comuns (1Coríntios 10.13). Aparecem, por exemplo, em forma de desejos, práticas, costumes, pensamentos e ideologias.

Israel Belo de Azevedo
Pastor da Igreja Batista Itacuruçá
Rio de Janeiro

sábado, 3 de abril de 2010

A RESSURREIÇÃO E EU

“Ao comerem, estejam prontos para sair; cinto no lugar, sandálias nos pés e cajado na mão. Comam apressadamente. Esta é a Páscoa do Senhor. Quando os seus filhos lhes perguntarem: ‘O que significa esta cerimônia?”, respondam-lhes: É o sacrifício da Páscoa ao Senhor, que passou sobre as casas dos israelitas no Egito e poupou nossas casas quando matou os egípcios’”(Êxodo 12.11,26,27) A salvação do povo hebreu é obra de Deus. E este acontecimento extraordinário na vida deste povo é relembrado através da cerimônia da Páscoa.Os judeus deviam sacrificar um cordeiro macho e sem defeito para celebração desta festa.
O apóstolo Paulo diz que Cristo é o nosso Cordeiro pascal (1Coríntios 5.7), mostrando que Ele havia feito o sacrifício de uma nova aliança. Jesus Cristo, o nosso cordeiro Pascal, não permaneceu morto, Ele ressuscitou! O meu sentimento diante da Páscoa depende do modo como encaro este fato.
Num domingo, algumas mulheres foram ao sepulcro de Jesus levando especiarias aromáticas para o corpo sem vida do seu mestre, mas foram surpreendidas pelo túmulo vazio (Lucas 24). Jesus venceu a morte, mas muitos não acreditaram. As autoridades que haviam sacrificado o Cordeiro de Deus espalharam a notícia de que os discípulos tinham furtado o seu corpo (Mateus 28.13). Desde então, muitas teorias surgiram tentando desacreditar a ressurreição de Cristo.
Quando vejo como a vida dos discípulos de Jesus foi mudada depois desse fato, quando
observo um Pedro covarde que nega o seu mestre, sem nenhum temor, desafiando as autoridades, quando leio que com grande poder os apóstolos continuavam a testemunhar da ressurreição, apesar de toda perseguição (Atos 4.33), não consigo acreditar que os discípulos sacrificassem suas próprias vidas por uma farsa.
O apóstolo Paulo diz que Cristo morreu pelos nossos pecados, foi sepultado e ressuscitou no terceiro dia, que apareceu a Pedro e depois aos doze. E que depois disso apareceu a mais de 500 irmãos, de uma só vez. Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação e também inútil a nossa fé (1Coríntios 15.4-6, 14).
O que significa a Páscoa para mim? A resposta depende de como eu vejo a ressurreição de Jesus Cristo. Paulo afirma:”Se você confessar com a sua boca que Jesus é seu Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo” (Romanos 10.9). Assim como para os judeus a Páscoa significava a salvação da escravidão no Egito, também para mim ela representa a minha salvação; não da escravidão no Egito, mas da escravidão do pecado.
A minha missão agora é levar o verdadeiro significado da Páscoa a todas as nações, sabendo que o Cristo ressuscitado estará comigo até o fim dos tempos (Mateus 28.20). Estamos diante da oportunidade de levar a verdadeira Páscoa a quem ainda não a conhece. Através de minha oferta, “por Cristo, vou até os confins da terra.”
ALCENIR ANCELMÉ DA MOTA