quinta-feira, 19 de março de 2009

VIVENDO E APRENDENDO ENTRE OS PERSEGUIDOS

“Portanto, não se envergonhe de testemunhar do Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro dele, mas suporte comigo os meus sofrimentos pelo evangelho segundo o poder de Deus.” 2 Timóteo 1.8

Trabalho numa região do mundo onde meus amigos, ou melhor dizendo, nossos irmãos, são perseguidos por amor a “CRISTo”. Alguns deles já me contaram como foram torturados e presos.

Ando com essa gente que o pessoal do ocidente costuma chamar de herói.

Nos primeiros contatos, cheguei todo empolgado, querendo conhecer as histórias miraculosas pra contar para os meus amigos de como eles vivem perigosamente sua vida de missão impossível, digna de ser interpretada pelo Tom Cruise em Hollywood.

E de empolgado fiquei envergonhado ao ver que são tão comuns.

Vivem um dia de cada vez, e se sabem do perigo (e acreditem, eles sabem) vivem com os olhos voltados para aquele que por eles sofreu maior afronta.

Eles dão um duro danado pra sobreviver, porque ao contrário dos heróis de Hollywood, ninguém tem super poderes. É gente igual a gente que precisa trabalhar pelo pão diário, que chora, se alegra, tem sonhos e medos.

É uma gente interessante essa com quem tenho convivido. Ninguém tem ar de piedade e ninguém se dobra diante dos malabarismos que se precisa fazer para participar de uma “reunião”.

Se o horário mais seguro for às 5h da manhã, eles estarão lá.

Se precisa viajar, ir á um lugar distante, dispersar, chegar cada um em um horário diferente, tudo bem, eles não se queixam.

Eu os vejo todos os dias. E eu ando aprendendo um bocado, acreditem!

E eu estou definitivamente tentando deixar pra trás tudo o que é extraordinário e mirabolante pra imitar esse tipo de vida ordinária: todo dia perto Dele, todo dia mais sedento, todo dia buscando mais um pouquinho Dele... vivendo atento ao perigo sem se deixar aprisionar. Andar sabendo que tem gente me perseguindo, mas continuar correndo ao encontro de quem eu amo e por quem decidi viver a minha vida.\

Essa gente perseguida é assim: apaixonada. Apaixonante!

Eu cheguei nesta parte do mundo querendo ensiná-los tudo o que sei, mas vivo agora aprendendo tudo o que eles são... eu vivo desejando servi-los e segui-los pois eles caminham anonimamente o caminho que está proposto para todos nós.

São todos heróis. Sem fama, sem medalhas e sem plateia. E de tão comuns, se dispersam na multidão e conseguem fazer discipulos e semear a preciosa semente sem que quase ninguém perceba. Os frutos já começam a florescer viçosos, ainda que os inimigos queiram sufocá-los.

Eu confesso que estou apaixonado por essa gente que trabalha sem alardes, que não toca trombeta e para quem os sinos não badalam.

Sei que a recompensa deles é grande e incorruptível. Achei que veria aqui milhões de pobres coitados perseguidos e acuados, mas encontrei homens e mulheres corajosos e felizes que se acham dignos de sofrer pelo nome Dele.

Quando penso em como sou diferente deles, tenho pena de mim que preciso urgentemente ser mais ousado, mais apaixonado e mais comprometido com Cristão.

Dawei
(Ásia) 

Nenhum comentário: