domingo, 12 de outubro de 2008

SAUDADES DO MEU AMIGO...

CARTA DA ESPERANÇA - Publicada pelo Pastor Xavier - Igreja Memorial da Tijuca

Queridos líderes, ovelhas da Memorial e Ovelhas virtuais,

Depois de tantas semanas, esta é a primeira vez que tenho tido forças e energia suficientes para sentar e escrever algumas linhas, como tenho desejado fazer já há tanto tempo. Apesar de tudo, continuo firme na bondade, na providência e na misericórdia de Deus, sem as quais eu já teria sido consumido. Não posso negar que em meio às dores e ao sofrimento, algumas vezes já desanimei e desejei que desistissem de mim, mas logo entendo que este processo de obediência e submissão em meio às lágrimas, que são muitas, e ao sofrimento que acaba passando, faz parte do processo do trabalho amoroso de Deus em mim e no meio do seu povo do qual vocês são parte integral. Ontem à noite Clenir e eu orávamos aqui no quarto do hospital, orações até “confusas”, quando não sabíamos exatamente o que pedir. Eu orei silenciosamente e disse que apertaria a mão dela, como sinal de amém, pois a sonda nasogástrica me impede de articular as palavras. Depois ela orou e pedimos que tão somente o Espírito “traduzisse” ao Pai as nossas orações, mas que gostaríamos de ouvi-lo falar conosco algo que nos ajudasse.
Nesta manhã, depois de um delicioso e refrescante banho no leito, com sabonete phebo, cheirosíssimo, depois eu cobro minha comissão, abri um devocional diário, escrito pelo Spurgeon em 1865, li o que agora traduzo para vocês.
Clenir também leu e os dois choramos e vocês vão entender a razão, depois de lerem, eu espero!!!


II Samuel 7.25 – “FAZE CONFORME PROMETESTE”

As promessas de Deus nunca foram dadas para serem desprezadas, colocadas de lado como papéis usados. Ele as deu para que fossem usadas. O dinheiro de Deus não é o dinheiro de um miserável, pão duro, mas é dado com o propósito de circular. Nada alegra mais a Deus do que ver as promessas dele colocadas em circulação. Ele ama ver os seus filhos voltarem-se para Ele, e dizerem: “Senhor, faze conforme prometeste”. Nós O alegramos quando requisitamos as promessas dEle. Vocês pensam, por algum momento que Deus ficará mais pobre ao dar-lhes as riquezas que Ele tem prometido? Vocês acreditam que Ele ficará menos santo ao conceder-lhes Sua santidade? Vocês supõem que Ele ficará menos puro ao lavá-los de seus pecados? Ele tem dito: “Venham agora, e arrazoemos juntos, diz o Senhor: Embora os seus pecados sejam tão impuros, eles se tornarão brancos como a neve, vermelhos como o carmesim, ficarão alvos como algodão”.
Fé se sustenta nas promessas do perdão e ela não se delonga atrás de desculpas, tipo, “esta é uma promessa muito preciosa, muito bonita. Mas eu me pergunto: “Será mesmo real?” Ao contrário, o crente vai direto para o trono com ela, debaixo do braço, e clama: “Senhor, aqui esta a sua promessa. “Faze como prometeste”. O nosso Senhor responde: “Se cumpra em você conforme lhe prometi”.
Quando um crente agarra uma promessa, se Ele não a leva para Deus, Ele desonra Deus. Mas quando Ele se dirige ao TRONO DA GRAÇA, e clama: “Senhor, eu não tenho absolutamente nada que me recomende diante de Ti, além da promessa que diz: “Faze como prometeste”, então seu desejo será concedido. Nosso banqueiro celestial se alegra em sacar de suas próprias e inesgotáveis riquezas. Nunca permita que as promessas fiquem rotas.
Tire as promessas que você engavetou, como seus papéis velhos, e use-as como uma “santa violência”. Não pense, nem por um momento sequer, que estará importunando a Deus ao “lembrar-Lhe” de suas promessas.
Ele ama ouvir o clamor altissonante dos necessitados. É Seu deleite nos conceder o Seu favor, derramar as Suas bênçãos. Ele está mais pronto para ouvir do que você para pedir. O sol não se cansa de brilhar, nem a fonte de jorrar. É da natureza de Deus cumprir e velar por suas promessas.
Por isso vá imediatamente para o TRONO DA GRAÇA com as promessas debaixo do braço e diga: “FAZE, CONFORME PROMESTE”.
Entenderam, porque choramos???? Dentre as várias conclusões a que chegamos, em especial, Deus falou à Clenir e eu concordei com ela, é que nos inibimos em irmos ao TRONO DA GRAÇA, com ousadia, clamando pelas promessas, porque temos medo de, como dizem os adolescentes, “pagar mico”, dar vexame, comprometermos a Deus, etc..., mas isto não é problema nosso, na medida em que não somos aventureiros, mas pessoas que se agarram nas promessas feitas, e não nas que inventamos.
Outro dia o Eduardo Neves, membro de nossa igreja, fazia uma meditação sobre Sansão, e me chamou a atenção para o fato de que, a despeito de ter pisado na bola, ele se volta para Deus, ora, e mesmo cego, sem forças, expondo-se ao ridículo, estende os braços nas colunas do templo, e enquanto os seus algozes zombam dele, ele ora, pela fé, clama as promessas de Deus, e tudo vem abaixo. Que coisa tremenda e magnífica acontece quando nos agarramos não nas colunas, mas nas promessas, como fez Sansão. Precisamos mudar nossa postura e nos aprofundarmos no conhecimento da Palavra de Deus e de suas promessas.
Deus nos chama para um tempo de esperança, de fé nas suas promessas. Vamos desengavetar o que está engavetado e assumir uma postura de crente com C maiúsculo e resgatar um dos textos mais importantes que temos negligenciado, o qual se encontra tanto no Velho, quanto no Novo Testamento: “O justo viverá pela fé” (Rm 1.16, Hc 2.4) Clenir e eu, além de chorarmos e nos quebrantarmos, assumimos uma nova postura diante do Senhor, sem medo de nos expormos e pagar mico.
Oramos para que a graça de Deus os abençoe e fortaleça a fé de vocês, como tem feito conosco.
Com um profundo carinho e muitas, muitas saudades,

Pr. Xavier e Clenir

Nenhum comentário: